domingo, 18 de junho de 2017

Festa de criança sem criança

Pela cara que Mitsuo fez na foto, vejo que, infelizmente, ele não gostou da festa que ganhou no dia em que completou 5 anos de vida, porque uma coisa é certa: festa de criança sem criança não tem graça. Nem o caminhão de Coca-Cola que a tia e o avô paterno dele deram, nem o bolo de cenoura com cobertura de chocolate que a mãe dele fez, nem o Transformer que comprei no lugar do pacote de folhas de papel sulfite, da pasta para guardar desenhos e da caixa de lápis de cor que eu havia prometido, nem o bom humor do Tiago, que convidei para me ajudar a esvaziar umas latinhas de cerveja, nem, por último, o surpreendente e lindo bolo feito pela madrinha de consideração, Marisa, que, por causa de um erro de comunicação de minha mulher, chegou quando já havíamos cantado “Parabéns pra Você”, conseguiram fazê-lo ficar com cara de felicidade. Não foi por falta de convite que a única criança que o aniversariante viu na festa foi a irmã dele, pois, pelo menos, dois amigos dele foram convidados, já que, ultimamente cortando gastos e economizando até o que não podemos para conseguir pagar as contas, Priscilla e eu não pudemos chamar mais pessoas, como os novos colegas de escolas dele, se ele já tivesse se familiarizado com eles. A meu ver, o desânimo de meu primogênito só não foi maior porque as outras convidadas minhas, estas sem criança, não puderam vir à festa. Agradecendo a Deus pela alegria de poder celebrar mais um ano de vida de meu amado filho, espero que nos próximos três aniversários, quantos, segundo Priscilla, ele tem para ainda querer ter festa de criança, o número de convidados quase da mesma idade que ele seja não apenas maior do que o de quando ele completou 5 anos, mas o deixe melhor na foto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.